A arte da fotografia

agosto 25
A arte da fotografia

Cliques pra lá, cliques pra cá e a selfie é mania mundial. De pessoas comuns a astros hollywoodianos todas se rendem as lentes fotográficas, mas que mágica é essa que a fotografia provoca nas pessoas?

No mês em que se comemora o Dia Mundial da Fotografia, destacamos como essa arte tem o poder de provocar sensações, fazer refletir e documentar fatos. A primeira fotografia que se tem registro é atribuída ao francês Joseph Nicéphore Níepce, datada de 1826. O início de uma arte que revolucionou o mundo. Da primeira imagem congelada através de um dispositivo até hoje, muitas técnicas e equipamentos foram melhorados e criados para manutenção dessa arte, mas tem uma coisa não mudou: a emoção de ver os registros.

Como representante dessa arte no Brasil temos Sebastião Salgado, um dos fotógrafos brasileiros de reconhecimento mundial por se dedicar ao registro social e econômico de várias comunidades em nosso país e no mundo. Tragédias como Eldorado dos Carajás e a busca enlouquecida pelo ouro da Serra Pelada não escaparam às suas lentes. No filme “O Sal da Terra” (2014) é possível conhecer um pouco da trajetória do artista.

Em Rondônia é inegável a contribuição do fotógrafo Dana B. Merril no registro da construção da Ferrovia Madeira-Mamoré. Contratado para documentar a grandiosa obra, suas fotografias mostram o início da colonização da região norte e a miscigenação de raças que se misturaram por aqui entre 1909 e 1910. O cotidiano e costumes aparecem nas imagens, que contam com um acervo de mais de duzentos negativos numerados. Quem frequenta o Mercado Cultural em Porto Velho pode ver algumas ampliações que mostram o trabalho de Dana.

livro 100-5

Luiz Brito, fotógrafo de Porto Velho, busca esse resgate histórico através das imagens. Seus registros já renderam exposições como “Porto Velho em Preto e Branco”, “As Queimadas”, além do livro “Revelando Porto Velho”, uma pesquisa que mostra parte da história de nossa cidade e já está em sua segunda edição.

E se tem uma coisa que chama atenção em uma foto é o cenário.  Para o portovelhense um dois locais mais inspiradores para fazer aquele clique é o por do sol às margens do Madeira. Difícil resistir o registro desse espetáculo diário ou captar os costumes de quem mora às margens do rio.

 E você, gosta de fotografar?

 

Dydyo Refrigerantes