Dydyo promove ação em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

março 11
Dydyo promove ação em comemoração ao Dia Internacional da Mulher
Na programação um dia especial para as funcionárias da fábrica de refrigerantes

 

Na segunda (09) a Dydyo Refrigerantes proporcionou um dia de beleza para todas as mulheres Dydyo. As funcionárias da fábrica de Porto Velho, participaram de um momento onde foram homenageadas e presenteadas com alguns brindes. Em seguida, o dia que se seguia proporcionou a elas um espaço de beleza, com direito a maquiagem, skin care, massagem e mais.
A ação aconteceu em parceria com a Mary Kay, que disponibilizou suas consultoras e materiais para fazer o dia das nossas mulheres um pouco diferente e mais feliz.
Atualmente, o número de mulheres na empresa é bem expressivo, e estão nas mais diversas áreas, gerenciando grandes equipes e desempenhando excelentes papéis que resultam em crescimento. Pensando nisso, a Dydyo também preparou um vídeo que resgatou a história de luta e conquista da mulher.

As principais lutas e conquistas das mulheres ao longo da história

Marie Curie, Malala Yousafzai, Rosa Parks, Valentina Tereshkova…, o que todas essas mulheres têm em comum? Todas são ou já foram pioneiras em alguma luta pela mulher, em meio a um mundo, até então, dominado pela presença massiva de homens na maioria das profissões.
A presença de mulheres no mercado de trabalho é uma das árduas conquistas femininas ao longo da História. A luta por igualdade de direitos é longa e, a cada dia, um novo capítulo é escrito. Uma das últimas, as mulheres conquistaram o direito de dirigir na Arábia Saudita. Parece pequeno, mas para aquelas que dependiam do marido para ir e vir, é uma vitória inestimável.

Linha do tempo de conquistas

As conquistas femininas no Brasil e no mundo não param! Traçamos algumas dessas datas expressivas para a evolução da mulher.

1792: a mulher começa a exigir seu direito ao voto na Inglaterra, além de ser o ano em que Mary Wollstonecraft escreveu A Vindication of the Rights of Woman, defendendo educação para meninas aproveitarem seu potencial
1827: a primeira lei sobre educação para mulheres é proclamada no Brasil mas, restringindo o acesso às escolas elementares
1857: na cidade de Nova York, 129 operárias de uma indústria têxtil morrem queimadas em ação policial ao reivindicarem a redução da jornada de trabalho para 10h diárias, além da licença maternidade. Mais tarde, o dia 08 de março foi declarado como o Dia Internacional da Mulher
1862: as mulheres suecas votam pela primeira vez
1879: as mulheres brasileiras conseguem o direito de frequentar instituições de ensino superior, mesmo sob críticas da sociedade
1885: Chiquinha Gonzaga estréia como a primeira maestrina brasileira
1887: Rita Lobato Velho forma-se como a primeira médica brasileira
1915: a Caixa Econômica Federal institui novo regulamento que permitia à mulheres casadas ter seus próprios depósitos bancários, desde que não houvesse a objeção do marido
1928: Juvenal Lamartine, governador potiguar, consegue alterar lei eleitoral para dar direito de voto às mulheres, no entanto, os mesmos acabaram anulados. No mesmo ano, a primeira prefeita da história brasileira foi eleita: Alzira Soriano de Souza, em Lajes (RN)
1932: o novo Código Eleitoral Brasileiro é, finalmente, promulgado por Getúlio Vargas, dando direito ao voto para as mulheres. No mesmo ano, Maria Lenk seguiu para Los Angeles como a única mulher da delegação olímpica daquele ano
1945: a Carta das Nações Unidas reconhece, em documento internacional, a igualdade de direitos entre homens e mulheres
1951: a Organização Internacional do Trabalho (OIT) aprova a igualdade de remuneração entre homens e mulheres em funções iguais
1974: Isabel Perón torna-se a primeira mulher presidente de uma nação, a Argentina
1975: proclamado o Ano Internacional da Mulher e, no mesmo ano, foi realizada a I Conferência Mundial sobre a Mulher, na qual foi criado um plano de ação
1979: neste mesmo ano, Eunice Michilles tornou-se a primeira senadora do Brasil, a Convenção para a Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher foi adotada pela Assembleia Geral e equipe feminina de judô se inscreveu em campeonato sul-americano
1985: criada a primeira Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher, em São Paulo, além da aprovação do projeto de lei que instituiu o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, no intuito de eliminar a discriminação e aumentar a participação feminina nas atividades políticas, econômicas e culturais
1993: a Conferência Mundial de Direitos Humanos, em Viena, destaca direitos e violência contra a mulher, gerando a declaração sobre a eliminação da violência contra a mulher
1998: Benedita da Silva torna-se a primeira mulher a presidir uma sessão do Congresso Nacional
2006: sancionada a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), que aumentou o rigor nas punições em crimes contra a mulher. Com ela, homens podem ser presos em flagrante ou ter prisão preventiva decretada. No mesmo ano, o Parlamento Paquistanês mudou a lei islâmica sobre o estupro, retirando-o das leis religiosas e o incluindo no código penal. Anteriormente, caso a mulher não apresentasse “quatro bons muçulmanos HOMENS” como testemunhas, seria acusada de adultério
2010: eleita como a primeira presidente mulher do Brasil
2015: sancionada a Lei do Feminicídio, colocando o assassinato de mulheres entre crimes hediondos

Por fim, fica a nossa homenagem a todas as mulheres! Hoje e todos os dias respeito! No trabalho, na família, nas ruas, nas escolhas. Todos os dias respeito! Muito mais evolução e muito menos barreiras a todas as mulheres.

Dydyo Refrigerantes