Partiu Portugal e o sucesso do stand up em Porto Velho

abril 08
Partiu Portugal e o sucesso do stand up em Porto Velho

O humorista Diogo Portugal é sucesso e percorre o Brasil inteiro com seus shows. Antenado com seu público também através das redes sociais (You Tube, Facebook, Twitter, Snapchat) desenvolve vários projetos nas diversas plataformas online.

dydyo-9703

Recentemente o humorista realizou o show Partiu Portugal em Porto Velho e fizemos uma rápida entrevista para conhecer um pouco melhor sua trajetória. Confira abaixo.

 Como começou a carreira de comediante?

Saí de casa era muito cedo. Era umas 6h da manhã (risos). Brincadeira. Eu era um cara que não era engraçado, eu era meio tímido, mas meus amigos me achavam engraçado ou achavam que às vezes eu tinha umas sacadas, ou que eu imitava um da turma e começavam a achar que eu devia fazer isso da vida. Aí o cara vai falando, vai falando e você vai acreditando, mas demorei muito pra viver disso, trabalhar com isso e pra decidir fazer isso da vida. Sempre tive profissões paralelas. Hoje não, hoje eu vivo integralmente de comédia.

O que você fazia antes de ser comediante?

Eu já fui guia de excursão pra Disney, já fui funcionário público, professor de inglês, já fui publicitário e tive uma produtora de áudio, onde esse foi um trabalho sério mesmo, a produtora cresceu bastante, então decidir fazer comédia foi bem importante pra mim, porque eu deixei até uma empresa que funcionava bem pra fazer isso.

Há quanto tempo você já trabalha com comédia?

Já está indo pra 17 anos de profissão.

Qual é a diferença de fazer stand-up no show e pra TV?

Olha, no show você tem uma resposta imediata da plateia, você faz e aparece na hora, acontece na hora, na televisão você fica esperando que quem assista goste, tem uma mixagem, uma filtragem. Agora, a televisão de populariza. Uma coisa ajuda a outra. A internet hoje também é um grande veículo.

Você está com um show novo, tem como contar pra gente o que rola um pouquinho?

Eu falo de coisas recentes que aconteceram comigo, tipo paternidade, eu tenho uma filha de quatro anos, só que eu tenho 47! Então tem uma diferença grande de idade. Tem coisas que você aprende quando fica mais velho, até exame de próstata! (Risos).
Você divide tudo o que você faz no stand-up. Eu também falo sobre coisas do dia a dia, relacionamentos.

Tem como você contar pra gente como é o teu projeto “Portugal Descobrindo o Brasil”?

Ah, isso é muito legal! É um trocadilho. Eu mostro coisas da cidade aonde estou. Já foram 10 capitais. E tá muito legal, tem música bacana, uma edição bem dinâmica, e mistura stand-up com as curiosidades das cidades.

 Existe piada que não deve ser feita?

Depende do lugar, do contexto, da piada, da hora. Se você tá num lugar que tem muito judeu, é melhor não fazer uma piada de judeu. (Risos).
Hoje em dia comediante tá muito perseguido. Não sabe o que pode falar, o que não pode. Eu tenho um festival que une vários humoristas e ali é um alvo, porque cada um tem um teor. Complicado.

 Se você fosse ‘fritar’ Diogo Portugal, que pergunta você faria?

Ah, eu ia fritar várias coisas, de ser um cara extremamente distraído, desligado, de ser meio zoado mesmo. É ruim fritar você mesmo! Risos.

O formato de stand-up é um formato americanizado, como você faz pra trazer para linguagem brasileira?

Eu comecei fazendo personagens, que é uma coisa brasileira. Aí quando comecei a fazer stand-up, como o que vou fazer hoje, foi uma dificuldade fazer as pessoas entenderam que aquilo não é uma piada de começo, meio e fim, é uma “contação de causo”, essas coisas. O cara pergunta ‘Ué, mas você não conta piada?’, aí eu digo ‘Não, eu falo sobre uma situação.”

Você tem algum ídolo de referências?

Tem um cara americano que eu gosto muito que se chama Louis C. K., o Seinfeld, também gosto muito e o George Carlin, que era o que eu mais gostava e falava de coisas bem ácidas, mas ele já faleceu. A piada está na coisa que te irrita, né? Ela não está na coisa boa.

No estilo do seu show, você costuma chamar as pessoas para interações. Alguma vez você já ficou constrangido com alguma coisa que aconteceu?

Ah, já! Já aconteceu do cara na plateia ser mais engraçado que você.

Já teve situação que o show não foi legal?

Já sim, mas mais começo de carreira. Mas às vezes o show não é legal e não é culpa sua, é porque o ambiente é ruim, as pessoas não te ouvem, ou as pessoas não estão ali na sintonia. Nem sempre a culpa é totalmente tua.

dydyo-9706

 E aí, gostou da entrevista?

Se você quer conhecer um pouco mais sobre Diogo Portugal é só acessar http://diogoportugal.com.br/ e acessar vídeos e muito mais. É só se divertir.

Dydyo Refrigerantes